Intimidade é uma merda


Eu sou mestre em mergulhar de cabeça nos relacionamentos-amizades que passam pela minha vida e acho que a conquista mais valiosa que existe é a intimidade. Não entendo como tem gente que prefere relações superficiais, sem sinceridade, sem "duvido cê pegar uma cerveja pra mim" ou "coça minhas costas pelo amor de Deus"*.


*parênteses: a melhor parte do casamento é ter alguém pra coçar suas costas e saber exatamente onde o "90 graus a noroeste do ossinho esquerdo" fica.


Intimidade é abrir a geladeira do amigo, pedir massagem pros parente, comer temaki com o crush.


Eu, com todo o meu potencial pro destrambelhamento, já devo ter perdido muito boy que me viu com salmão skin no cabelo.


Intimidade é não desistir do outro, mesmo que ele esteja com açaí no cotovelo.


Intimidade é como química. Tem gente que conheço há anos e as conversas simplesmente não evoluem. Tem gente que conheço hoje e amanhã já quero compartilhar o pote de sorvete, a colher do brigadeiro, a escova de dentes.


Intimidade é coisa linda de Deus.


Toda vez que chego em casa disputando corrida com o mozão e gritando PRIMEIRA NO BANHEIRO, penso: obrigada, Senhor, pela intimidade alcançada.


Intimidade é viajar junto.


Dormir junto. Não tem nada mais íntimo e profundo que dividir a cama com alguém.


Segurar o cabelo da miga que não tá legal, puxar a orelha de quem vacilou, dar o ombro a quem precisa de colo.


Intimidade é ficar em silêncio. Ah, essa é arrebatadora. Não se incomodar com o silêncio a dois é o Inmetro da intimidade.


"Intimidade é quando a vida da gente relaxa diante de outra vida e respira macio".


Intimidade é uma merda. Deliciosa.

© 2023 by Salt & Pepper. Proudly created with Wix.com