O mundo está ficando chato


E não é pelo politicamente correto. Saudades de cantada machista, piada racista? Não sinto.

Esse mundo chato com a Globeleza de roupa, sambando na cara do preconceito, pra mim tá bão demais.


Chato mesmo está ficando o nosso ego.


Não gosto de fazer textos pessimistas nem de generalizar pessoas, eras, gerações. Peço licença poética desde já pra ser menos otimista que de costume, e um pouco mais rabugenta-véa-chata-reflexiva-tristonha. Não é nada pessoal.


É que o mundo está ficando chato, minha gente. Um belo dia eu acordei e o ego pareceu dominar todas as coisas. Ele está ditando nosso comportamento, nossos relacionamentos, nossas conversas, tudinho.


Acho que as redes sociais têm culpa nisso, já que despertam em nós esse jogo sujo de "mostrar que a vida é mara".


A sensação que eu tenho é que estamos vivendo dentro do Pinterest. Vale mais uma foto bonita que uma experiência linda. Sobrou até para as festas das crianças! Que saudade de festinha de criança com brigadeiro embrulhado em papel laminado e aquelas mesas de bolo que mais pareciam um desfile da Mangueira, com alegorias e papel crepom. Hoje a decoração é de adulto, minimalista, ideal pra sair bem no Instagram.


E não é só em foto que o ego anda falando mais alto. Parece que o mundo está levando essa preocupação em "ser mara" pra fora das redes sociais. Ninguém quer parecer ridículo, ninguém quer errar, ninguém se arrisca. Viva a zona de conforto!


Bora viver, minha gente! Bora fazer umas merdas de vez em quando e rir disso. Bora viver com intensidade, sem tanto medo de parecer idiota. Bora saber viver offline também, porque os melhores momentos da vida quase nunca saem em foto.


Parece que está todo mundo vivendo igual, se vestindo igual, se comportando igual, com um medo danado de ser diferente. E aí fica tudo tão superficial.


Sinto falta de conversar mais naturalmente sobre a vida, sobre pessoas, sobre sentimentos. Filosofia de buteco, mesmo. O problema é que nem no buteco as pessoas querem ouvir mais, é um desespero tão grande por falar, falar, falar.


Ego, ego, ego.


Tem gente que pode passar 24h por dia acompanhando o stories de uma blogueira no Instagram, mas é incapaz de sentar do seu lado e ouvir a sua história.


Que delícia que é conversar com alguém que te escuta, que não tem medo de parecer frágil ou vulnerável. Gente que se desapega da sua própria imagem. Gente que fala besteira, que ri de si mesmo, que deixa o celular de lado pra passar uma noite com você. Sem querer parecer lindão no Instagram, sem querer parecer ser mais foda que você. Gente que é "tão gente" quanto você, e sabe disso.


Que você tenha um 2017 rodeado de gente assim.

© 2023 by Salt & Pepper. Proudly created with Wix.com