Papai Noel,

24.12.2015

 
Você chegou como aquela visita que chega de repente, de surpresa, e deixa a gente meio assustado e sem reação. Não tivemos tempo de nos preparar, nem de pensar sobre isso. A sensação é que a cada ano você chega mais rápido. Acordamos num susto já sentados na mesa comendo farofa, contando história e desejando feliz Natal.

 

Queria ter tido tempo pra entrar no clima natalino, pra pensar nas coisas boas que vivi este ano, na gratidão que eu tenho por estar viva e no quanto eu gostaria de ajudar mais o próximo, de ser uma “ajudante de Papai Noel” durante todo o ano. Mas o tempo nos engole, a gente acaba vivendo no modo automático e só para pra respirar e olhar pra trás em datas como esta. E, ainda assim, bem rapidinho.

 

Sinto que estamos perdendo um pouco a nossa capacidade de refletir, de olhar pra dentro. A gente vai vivendo, dia após dia, numa correria e num stress tamanhos que não dá tempo pra pensar muito não. A gente faz a Dory e continua a nadar, continua a nadar, continua a nadar, porque né, camarão que dorme a onda leva.

 

Então, eu não sei se estou na sua lista de “boas meninas” deste ano. Na minha cabeça, esta bolinha pensante que não para de me cobrar um minuto sequer, sei que deveria ter lido mais, meditado mais, respirado mais, ajudado mais e, já que estou indo na onda dos Titãs, certamente “deveria ter me importado menos com problemas pequenos”, inclusive com o fato de que não li o que queria, não ajudei o que queria, etc etc etc.

 

A conclusão que chego, aqui escrevendo pra você, é que eu sempre vou ter dedos pra apontar pra mim mesma. O padrão de comportamento que inventei ser o ideal pra mim (alguém que trabalha-lê-medita-dança-vê filmes-vê séries-ajuda os outros-visita a família-encontra os amigos-tem unha feita-casa limpa-armário arrumado-sabe cozinhar-sabe o que está acontecendo na linha do tempo do facebook-e na novela -e na TV-e no bbb) é humanamente cruel.

 

Take it easy, my brother. Você não acha que estamos todos nos cobrando demais? Diz que fomos bons meninos, diz que fizemos o que estávamos ao nosso alcance, diz que fomos muito mais do que você esperava?

 

Pro ano que vem, eu já estou cheia de metas, fico ansiosa pra cumpri-las, gosto de me impor novos padrões que

podem me tornar mais completa e realizada. Mas a minha meta mais importante, a primeirona na fila, é: não me importar tanto. Descansar o cérebro, mandar minhas cobranças pessoais irem passear e tomar uns bons drinks com *euzinha*, me amando, me respeitando, não me cobrando tanto e ciente de que dou o meu melhor, sempre.

 

Papai Noel, neste Natal eu só quero que você me dê um abraço e me diga: relaxa.
 

 

Please reload

© 2023 by Salt & Pepper. Proudly created with Wix.com