Sobre as pequenas humilhações do dia a dia

07.11.2013

1. Você está no restaurante, mesa cheia de gente, é hora de contar aquela história que tem tudo pra ser envolvente como um tango argentino. No início todos prestam atenção, mas, conforme o tempo vai passando, você está falando sozinho.

 

Só tem aquela (única) pessoa que você mal sabe quem é – definitivamente a história não era pra ela – que continua te ouvindo.  

 

É o famoso Resta um.

 

Você: 

 

a) Finge que era com você mesmo que eu queria falar e continua contando a história pra ela, ainda que esse diálogo não faça sentido.  

b) Simula parada cardíaca para comover o público.

c) Finge que a história acabou.  

 

2. Já faz meia hora que uma pessoa te chama pelo nome errado. Você:

 

a) Envia um bilhete anônimo com os dizeres: “Meu nome não é Johny”.

b) Vai embora para não estar presente quando a verdade vier à tona.   

c) Encarna o personagem do novo nome, inclusive vai amanhã trocar no cartório. 

 

3. Você está no trabalho contando um caso engraçado. Uma pessoa do outro lado da sala dá gargalhadas. Você para de falar e olha pra ela em busca de cumplicidade e sintonia, mas descobre que ela está rindo de outra coisa. Como disfarça?

 

a) Finge que só estava alongando o pescoço.

b) Olha pra um lado e pro outro e faz a dança do Fat Family. 

c) Finge que está procurando alguma coisa e grita: o grampeador tá aí?

 

4. Você responde uma pergunta que não era pra você. Como age em seguida?

 

a) Disfarça e começa a cantar (volare ô ô, cantare ô ô ô ô).

b) Pega o celular e fala sozinho.

c)  Finge de doido e grita TCHAAN, TCHAAAN, DUDUDUPÁ. 

 

5. De maneira geral, como você lida com as humilhações do dia a dia:

 

a)  Se passa por doido. Sempre. 

b)  Finge indiferença e superioridade, mas nunca esquece.

c)  Por fora você ri, por dentro está em chamas. 

 

Se marcou todas as alternativas anteriores, bem vindo ao meu clube. Em que posso ajudá-lo?

 

Please reload

© 2023 by Salt & Pepper. Proudly created with Wix.com